Curso técnico na área de seguros

O curso técnico de seguros tem duração de 800 horas e deixa o aluno capacitado para atuar no mercado de trabalho. Apesar da atual crise financeira que o Brasil passa, o mercado de seguros é um dos poucos que continua crescendo no país. Pensando nisso, o segmento de Técnico de Seguros é uma profissão promissora para entrar e ter estabilidade no mercado de trabalho.

O curso oferecido sem custo ao aluno pelo Programa Pronatec tem duração de 800 horas, com duração de aproximadamente 10 meses, e está disponível para alunos que terminaram o ensino médio. Alguns centros educacionais oferecem o curso através do Programa Federal Pronatec pelo sistema à distância, com o método EAD.

O profissional que atua como Técnico de Seguros é responsável em controlar as contas Dops clientes que possuem prêmios e sinistros relacionados a seguros, além de organizar fatos contábeis, com base nas normas e limites técnicos operacionais de cada seguradora.

O Técnico de Seguros é responsável ainda em subscrever e inspecionar riscos, além de avaliar acessos e riscos de sinistros e concede participação de riscos ao mercado de seguros, além de negociar seguros com novos clientes.

O profissional com essa formação está apto a trabalhar em empresas de seguros, escritórios de contabilidade ou auditoria, bancos ou ainda em empresas de previdência privada. Os técnicos em seguros podem trabalhar muitas empresas que necessitam de mão de obra capacitada para um serviço delicado e necessário, que é lidar com apólices de seguros e pagamentos de prêmios.

Os curso técnico do Pronatec visam capacitar mão de obra especializada para atuar no mercado de trabalho. Os jovens podem se cadastrar no site do programa (http://pronatec.mec.gov.br/) e verificar a disponibilidade de vagas na sua região.

Motivos para escolher curso Técnico de Seguros

Apenas no primeiro trimestre do ano de 2015, o setor de seguros apresentou crescimento de 22,4% em comparação a igual período do ano de 2014. De janeiro a março, as receitas totalizaram R$ 42,5 bilhões enquanto que no mesmo período do ano de 2014 foram de R$ 34,7 bilhões. Sendo que, no mês de março, o crescimento foi de 26,3% em relação a fevereiro com as receitas totalizando R$ 16,6 bilhões contra R$ 13,1 bilhões, são dados da Susep (Superintendência de Seguros Privados).

Já para esse ano de 2016 o setor espera alta de 11% nos seguros em comparação com os títulos emitidos em 2015. A estimativa é um pouco menor do que a de 2014, quando o setor esperava cerca de 12% de aumento e deve ficar abaixo dos excelentes números que superavam a crise em 2015, mas o crescimento ainda é um ótimo resultado. Essa estimativa foi feita pela Confederação Nacional das Seguradoras (CNseg). No próximo exercício, o crescimento deve ficar em 10,3%, segundo a entidade.

Deixe uma resposta